A Guerra dos 100 Anos

A guerra dos cem anos ocorre em um contexto político muito diverso daquele da alta Idade Média. Ao invés da descentralização marcante em todo período medievo, vemos no fim desse período crescer a importância dos reis, que centralizam o poder político e administrativo formam exércitos cada vez mais numerosos e fortes, e iniciam disputas por território, riquezas e poder com outros monarcas.

Em 1337 o trono francês não possuía um herdeiro direto, o que foi pretexto para Eduardo III, monarca inglês, reivindicar o trono da França. Assim, o Rei inglês exerceria poder político sobre vastíssima região, que possuía um próspero comércio, especialmente a região de Flandres, importante produtora têxtil.

As primeiras batalhas são vencidas pela monarquia inglesa que conquista alguns territórios no norte da França. Essas primeiras vitórias acontecem graças ao bom relacionamento entre ingleses e comerciantes de Flandres. A julgar por essas batalhas iniciais, tudo levava a crer que a Inglaterra sairia vitoriosa. O conflito, porém, é interrompido pela ocorrência duma epidemia de peste.

Em 1356 as batalhas são retomadas, mais uma vez com vitórias da Inglaterra que consegue impor um acordo de paz à França, em que os perdedores foram obrigados a ceder parte importante de seu território em troca da promessa do soberano inglês em abdicar de suas pretensões à coroa francesa. Os efeitos da guerra foram sentidos principalmente pelos camponeses; a insatisfação com os tributos e obrigações, a fome e a falta de recursos motivaram várias revoltas, que ficaram conhecidas como Jacqueries.

No entanto, a guerra é retomada anos depois pelo soberano francês, que, apesar dos problemas internos, consegue reorganizar suas forças militares, contrata mercenários e readquire o controle de alguns territórios. No fim do século XIV a guerra é novamente interrompida, devido à revoltas internas nos dois países.

No ano de 1415, Henrique V da Inglaterra inicia nova ofensiva, conquistando territórios no norte da França. Em 1422 os monarcas dos dois países morrem e a sucessão dos dois tronos acaba com a esposa de Henrique V e que era também irmã de Carlos VI da França. Nesse período, surge uma mulher camponesa, que alegando ter sido designada por Deus para acabar com o domínio inglês, participou decisivamente em vários combates, conseguindo vitórias importantes, até ser capturada e morta em 1430.

Joan of arc burning at stake. Drawn by Jules-Eugène Lenepveu (1819-1898), a French neoclassical artist. Imagem retirada do Wikipédia.

Mesmo sem sua heroína os franceses continuam sua luta e conseguem finalmente derrotar os ingleses em 1453. A vitória da França encerra as pretensões inglesas sobre o norte de seu território e favorece a centralização política e a valorização do soberano.

A Inglaterra, derrotada na guerra, passa por uma violenta guerra civil entre as famílias York e Lancaster. Esta violenta disputa pela sucessão do trono ficou conhecida como Guerra das Duas Rosas. A guerra dos Cem Anos e a guerra das Duas Rosas enfraquece a nobreza inglesa. Dessa última disputa ascende a família Tudor, que irá centralizar o poder nesse país.

Galera, bem rapidinho e resumido, essa foi a Guerra dos Cem anos, episódio que ocorre no fim da Idade Média, durante a famigerada crise do século XIV. Esse conflito foi importante para a formação da França e Inglaterra. Apesar de ter sido nomeada como dos Cem anos, a guerra estendeu-se por pelo menos mais uns dez anos e contou com várias interrupções, causadas pela peste, revoltas camponesas e ou disputas sucessórias.

 
Glossário
 
Alta Idade Média: período que compreende os cinco primeiros séculos da Idade Média, portanto do século V ao século X.Jacqueries: foi o nome usado para designar as revoltas ocorridas no ano de 1358 na França e que acabaram por se estender a todas as revoltas camponesas do período.

Mercenários: Indivíduos que lutam mediante pagamento ou salário.

Autor: Prof. Leonardo Gallo
About these ads

11 Comentários

Arquivado em HISTÓRIA GERAL, Idade Moderna, Período Medieval

11 Respostas para “A Guerra dos 100 Anos

  1. Marcus Henrique de Araújo Galvão

    Com todo respeito professor, a professora do Soma que indicou o site disse que apesar do nome Guerra dos 100 anos, durou mais de 1 seculo e não mais de 10 anos como o senhor diz a cima no texto. Qual das duas informações está correta? Obrigado

    Att.

    Marcus.Galvão

    Intensivo Maio Soma.

  2. Marcus Henrique de Araújo Galvão

    Ops…. Lendo novamente observei que li errado. Desculpe pelo comentário acima. O texto está ótimo.

    Obrigado.

  3. Nayara

    Muito bom texto! Prático e objetivo…

  4. Nalu Ane

    Adorei o texto…..to garrada aqui hein galera!!!!

  5. Texto muito bom, resumido e de fácil entendimento. Curti muito.

  6. Pingback: Aulas da semana !!! | HISTORIATIVA NET

  7. Anônimo

    foda demais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s