LENDO A HISTÓRIA: A Arte da Guerra

O título pode remeter o querido leitor a caminhos que não pretendemos percorrer por esse curto artigo. Vamos ver aqui, de forma bem rapidinha, como funcionam as engrenagens CULTURA e ESPAÇO DE EXPERIÊNCIA. A cultura, como veremos aqui expressada por quadros e xilogravuras mas que pode ser detectada em qualquer traço da memória deixada por seres humanos, responde diretamente ao espaço de experiência em que atuam, vivem em determinado tempo que proporciona experiências únicas.

Palavras, palavras e mais palavras… Que tal uma imagem?

GUERNICA – A representação da Guerra, pintada por Pablo Picasso em 1937 medindo 350 por 782 cm.

É claro que existe uma pessoa, um ser humano por trás dessa obra. E, diga-se de passagem, o nosso Pablito não estava muito bem da caxola no momento… na real mesmo, ele estava num bode fudido, com treta com seu coração apaixonado e, no momento, vazio e confuso. Esse ser humano vivia uma treta interna cabulosa e combinava isso com bombas explodindo por que um baixinho de bigodinho fidido queria testar umas bombas que ele acabara de “desenvolver”.

O resultado moçada, não podia ser outro! A experiência tida por uma sociedade será transmitida historicamente por suas expressões culturais, que tendem a transformar o mundo e o pensamento dos seres humanos. Agora segura essa: vamos dar uma olhadinha aqui pro Brasil pra pataquada que um doido resolveu chamar de guerra e destruir o que via pela frente:

Quadro a óleo, de Álvaro Martins, mostra a Tomada do Forte Sebastopol, na Batalha de Paissandu.

Não sei quem esse cara é, mas deu pra ver que comparando a sua obra com a do Pablito, que viveu a treta da guerra na pele, que o tal de Álvaro Martins estava a pelo menos uns 2500 km de distância do tiro mais próximo no decorrer da guerra… Esse cara não viveu a guerra… e a sua intenção é exatamente oposta ao de Picasso – o cara coloca a guerra heróica e vitoriosa – e muito provavelmente isso foi num momento importante para a fundação do país Brasil (até mesmo posterior à guerra representada).

Sacaram que com uma mesma temática – GUERRA – a gente consegue dar uma observada mais atenciosa pra que não nos faltem os menores detalhes. Pra isso, é só lembrar que tudo que é traço cultural (textos, pinturas, filmes, artesanato, arquitetura, ciência) são feitos em um tempo determinado e sempre têm um objetivo determinado , além de serem feitos sempre por alguém e para alguém.

Um grande abraço aos amigos leitores!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s