REVOLUÇÃO IRANIANA – 1979

No início da Guerra Fria, o Ocidente parecia ter vencido a batalha pelo Irã. Antes chamado de Pérsia, o país foi ocupado pela Grã-Bretanha e pela URSS durante a Segunda Guerra Mundial. Tropas soviéticas invadiram a porção norte do país e recusaram-se a sair após o fim do conflito. Dessa vez, no entanto, os E.U.A convenceram  os soviéticos a recuar. Em 1941 Mohammad Reza Palevi, de 25 anos, substituiu seu pai como xá do Irã.

O que era um xá?

Era a denominação dos monarcas do Irã, antes da revolução, e do Afeganistão. A  origem do nome  remonta à dinastia aquemênida devido a uma bebida feita a partir do cozimento de folhas ou cascas de vegetais

Voltando ao processo revolucionário…

O antigo governante havia iniciado um processo de ocidentalização com a reforma dos sistemas escolar e judicial e com a limitação do poder do clero mulçumano. Seu filho deu continuidade a essa política, realizando uma reforma agrária e concedendo o direito de voto às mulheres. Apesar de a maioria dos iranianos aprovarem as medidas do xá, muitos contestavam uma ocidentalização que se fazia em detrimento da cultura islâmica.

Com o crescimento da oposição ao regime ditatorial e corrupto do xá, este passou a recorrer cada vez mais à polícia política para punir os opositores. Uma das vitimas mais importantes era o aiatolá Ruholah Khomeini, o principal clérigo iraniano, exilado pelo xá em 1964.

 

RUHOLLAH KHOMEINI

 

De Paris, Khomeini, comandou a luta para derrubar o governo do xá. Em 1979, o alastramento da insurreição leva ao desmoronamento do regime. Khomeini voltou triunfante e estabeleceu um Estado Islâmico.

No início, predominou o sentimento antiocidental- militantes islâmicos tomaram a embaixada dos E.U.A, em 1979, e ali mantiveram funcionários americanos como reféns por mais de um ano.

 

Revolução iraniana

 

As relações entre o Irã e os Estados Unidos se tornaram mais difíceis quando esses últimos apoiaram a invasão do Irã pelo Iraque (setembro de 1980). A Guerra Irã-Iraque  durou 8 anos, sem que nenhum dos lados tenha vencido efetivamente, e serviu, mais do que qualquer outra coisa, para unir os iranianos em apoio a Khomeine, fortalecendo ainda mais o poder teocrático dentro do Irã.

Com a morte de Khomeini, em 1989, o país adotou progressivamente uma postura mais moderada, procurando reatar os contatos com o Ocidente. Um verniz de democracia aumentou a influência de clérigos menos doutrinários, que foram eleitos para altos cargos, mas a hierarquia tradicionalista, ainda detém um poder considerável.

Reformistas e conservadores continuam a enfrentar-se no Irã, mas desta vez através da política. A vitória de Mahmoud Ahmadineja  na eleição presidencial de 2005 tem dado causa a um aumento nas tensões entre o Irã e os EUA, em especial no que se refere ao programa nuclear iraniano.

Em 2009 Ahmadinejad se reelegeu sob suspeitas internacionais de fraude, o que gerou revoltas na população iraniana, estas foram duramente reprimidas. O governo reafirmou sua intenção de concretizar o programa nuclear.

 

Lula com seu chegado Ahmadinejah... conhecido como madinho... Na verdade o presidente num ato de bondade, contra a rejeição dos loucos, adotou a causa e resolveu estreitar os laços com os doidaços dos iranianos

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s