Chico Buarque recebeu um cale-se da ditadura

O ano de 1973 foi marcado por um grande festival com uma nova cara. Os antigos nomes, muitas vezes novos e desconhecidos que participavam dos festivais, tinham se tornado ídolos. Ao invés de disputarem qual era a melhor música, foram pagos pela gravadora para compartilharem suas melhores canções com outros nomes de peso.

O festival PHONO 73 reuniu nomes de peso da música popular brasileira como Elis Regina, Vinicius de Morais, Toquinho, Jorge Ben Jor, Caetano Veloso, Gal Costa , Maria Bethânia, Raul Seixas. Chico Buarque, Gilberto Gil, dentre tantos outros. Ou seja, foi um evento de grande importância que marcava também o retorno de alguns artistas exilados devido ao acirramento da ditadura militar no final da década de 60.

Chico Buarque era um desses artistas que retornava de seu auto-exílio em Roma. A opção por  retirar-se do Brasil se deu por uma precaução – outros que tentaram utilizar da música como protesto, como Caetano e Gil, foram presos e exilados a força. Quando foi convidado, após o retorno, para participar do festival, os organizadores tinham consciência  do peso que representavam algumas canções de protesto de Chico, que era constantemente barrado pela censura. Para evitar atritos os organizadores do evento, juntamente com os orgãos de censura proibiram a apresentação de uma série de músicas.

Mas Chico em sua célebre apresentação com Gilberto Gil passou por cima das determinações e de forma improvisada tentou cantar Cálice, composição dele com Milton Nascimento. Para tentar burlar a censura eles evitavam cantar a letra, fazendo barulhos incompreensíveis. Mas o refrão foi entoado, e em seguida o microfone de Chico passa a ser cortado várias vezes. O fato é muito marcante, pois mesmo sofrendo a censura eles prosseguiram a música arrancando aplausos e apoio da platéia.

Esse vídeo reforça a triste faceta da censura que, durante a ditadura militar, tentou dar um “cale-se” na frutífera produção musical da época. Mas mais uma vez a criatividade e a vontade de dizer o que o silêncio queria abafar fez com que os artistas brasileiros, cada um de sua forma, gritassem por um país melhor e mais democrático.

Autora: Bárbara Tostes

Um comentário sobre “Chico Buarque recebeu um cale-se da ditadura

  1. Olá Barbara. Sou o Rômulo um aluno seu do Pré. Gosto muito das suas aulas e o Blog ficou bacana d+! Fico aguardando novos textos…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s