A Índia de Vascão e as Grandes Navegações no vestibular

Olá meus caros leitores!

A expansão marítima européia no século XVI é alvo de cobrança constante nos vestibulares do Brasil. Isso pelo fato de ser uma importante página na história européia, fundando novos parâmetros de poder, conquista e expansão dos impérios europeus. A modernidade começa aqui, meus amigos!

Portugal tem o título de primeira nação a empreender as suas navegações. Entretanto isso é um movimento que mais tarde tomará conta dos pensamentos dos reis da Europa. Essas empreitadas tinham como causa não um fato isolado, mas sim uma conjuntura favorável ao seu desenrolar. Com a crise do sistema feudal, o comércio era a atividade econômica que poderia salvar o continente do desastre total. Juntamente com a necessidade de reunir metais preciosos para superar a crise monetária temos um impulso forte a desbravar novas terras em busca de riquezas para fortalecer as monarquias européias, que tinham necessidade de sustentar o seu aparato político-burocrático e militar.

Caravela Portuguesa

Além disso, havia um monopólio das rotas comerciais via mediterrâneo dominado pelos negociantes italianos. Isso representava um entrave nas negociatas com o oriente, de forma que qualquer coisa que se quisesse de terras orientais deveriam estar inclusos os gastos impostos pelos intermediários italianos. Fatores esses que impulsionaram as jornadas em torno do continente africano para se chegar às terras do oriente, sem necessidade de satisfações aos comerciantes florentinos, venezianos ou genoveses.

Expansão marítima portuguesa

Como dissemos no começo, os vestibulares costumam cobrar conhecimentos relativos a esse importante episódio da história européia. Vejamos uma questão da UNICAMP 2010:

Segundo o historiador indiano K. M. Panikkar, a viagem pioneira dos portugueses à Índia inaugurou aquilo que ele denominou como a época de Vasco da Gama da história asiática. Esse período pode ser definido como uma era de poder marítimo, de autoridade baseada no controle dos mares, poder detido apenas pelas nações europeias.

(Adaptado de C. R. Boxer, O Império Marítimo Português, 1415-1835. Lisboa: Edições 70, 1972, p 55.)

a) Quais fatores levaram à expansão marítima europeia dos séculos XV e XVI?

b) Qual a diferença entre o domínio dos portugueses no Oriente e na América?

A questão A recobra o que dissemos acima a respeito das necessidades européias que estavam ligadas à expansão. A necessidade de incrementar o comércio, adquirir novas fontes de metais, de vencer o monopólio imposto pelos italianos, entre outros. Já a questão B faz menção aos diferentes tipos de dominação empreendidos pelos portugueses. No oriente buscava-se um domínio comercial e militar, com estruturas que permitissem a dominação de pontos estratégicos (feitorias) ao passo que na américa instalou-se uma colonização efetiva com base na ocupação e na exploração das riquezas naturais do território.

Autor: Walderez Ramalho
Anúncios

Um comentário sobre “A Índia de Vascão e as Grandes Navegações no vestibular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s