Historiativanet na Cúpula dos Povos e a Rio+20

Como todo mundo deve ter percebido, estive no Rio de Janeiro e aproveitei minha viagem pra dar uma conferida na cúpula dos povos, representando o Historiativa e coletando uns materiais maneiros pra gente. Mas afinal de contas, o que é essa cúpula dos povos? Quais são seus propósitos? E qual sua relação com a Rio+20?

A cúpula dos povos é uma grande convergência de divrsos movimentos sociais e ambientais de todo o mundo, reunidos para discutir as causas dos problemas ambientais, para a proposição de meios viáveis para superar a crise ambiental que vivemos e para pressionar os governantes reunidos na Rio+20.


Sim meus queridos, vivemos uma crise ambiental e não podemos adiar a discussão nem o enfrentamento do problema. E isso a Rio+20 também reconhece, o que aproxima as duas conferências. Porém, a conferência que ocorre no Rio centro não conta com a participação da sociedade civil, envolvendo somente os líderes de estados ou seus representantes, e nem todos os países enviaram delegações.

Além disso, os Estados participantes mal conseguem entrar em acordo para definir metas tímidas de redução de impacto ambiental; não é parar de poluir, mas poluir menos. Os manifestantes concentrados no aterro do Flamengo denunciam que isso é fruto do caráter da Rio+20, que esconde as causas da crise ambiental e não se propõe a solucioná-la. A conferência dos estadistas é antes a defesa dos interesses financeiros de grandes corporações que os interesses dos setores da população comprometidos com a preservação ambiental.

Então, um dos objetivos da Cúpula dos Povos é essa denúncia, sendo comuns manifestações apontando as contradições das políticas dos governos em relação ao meio ambiente e dos discursos de seus ministros e presidentes, etc. Mas além da denúncia, havia discussões em torno do aquecimento global, das causas da miséria, sobre os impactos causados pelo agronegócio, etc. Tinha também a exposição de propostas aplicáveis para tornar os impactos ambientais mínimos e para distribuição da riqueza. Visitei vários stands sobre agroecologia, agricultura familiar, uso de técnicas agrícolas tradicionais, visitei um stand sobre economia solidária, stands do Sebrae sobre “negócios verdes” (por exemplo tijolo ecológico).

Nossa, bacana demais. Então, com a cúpula dos povos, o meio ambiente está a salvo, viva! Bom, não é bem assim. Apesar de bem intencionadas, as pessoas que realmente se importam com o meio ambiente são minoria. E algumas das alternativas apresentadas parecem um pouco com o esforço do passarinho que quer apagar o incêndio com a água de seu biquinho.

Enfim, são necessárias mudanças profundas para reverter o atual quadro de destruição ambiental. É preciso reformular os padrões de produção e consumo, distribuir riqueza e de uma política rígida de recuperação ambiental. Porém, é difícil realizar tudo isso sem um amplo envolvimento da sociedade e sem o engajamento efetivo do Estado representando os interesses da população. Por isso, eu fico com a impressão de que nós ainda custaremos muito pra avançar nas questões ambientais.

Anúncios

8 comentários sobre “Historiativanet na Cúpula dos Povos e a Rio+20

    1. Pois é Ricardo, infelizmente a Rio + 20 está mais compromissada com interesses financeiros de grandes conglomerados e com os interesses políticos de alguns governos. A reunião foi de tal forma desprestigiada, que a Itália por exmplo não mandou represntante algum. A própria Dilma após inaugurar o Pavilhão Brasil foi para o México participar da reunião G20. Serviu mais pra promover a imagem do governo brasileiro na ONU que pra discutir de fato sobre preservação e recuperação ambiental. Quem sabe daqui a 20 anos

  1. (Bárbara) Ahee um aluno que viu sua aula anoite no blog apesar do aluno ser da manhã, rs Mt bom o Blog e sua aula fantastica, é mais fantastica ainda do que me disseram : ) parabens

  2. Gostei das informações, também acredito que a população deve se mobilizar em prol do meio ambiente. Cobrar do governo para que eles façam com que as grandes empresas mudem o quadro atual. Mas não só cobrar do governo e sim agir juntamente a ele, pois pequenas atitudes podem gerar grandes resultados.

    1. Á só esqueci uma última coisinha, sou do turno da noite na unidade centro, sala 01. Estou aqui para representar nossa turma e dizer que a aula da Barbara é massa!

  3. Pôxa Maria Luiza, tb acho que devemos agir e que pequenas atitudes de todos são válidas. Se todo mundo parar de descartar o óleo usado na pia, ou fizesse coisas como evitar produtos cheios de embalagem, economizassem água, reciclassem o lixo, etc. Essas seriam atitudes muito bacanas, eu tb acho e faço algumas.
    Mas, o impacto ambiental causado pela população não chega nem perto do causado pelas industrias. Por exemplo a quantidade de água usada pelas pessoas é muito menor que a utilizada pelas industrias e pelo agronegócio em seu processo produtivo. Então, mesmo que eu, você e todo mundo na região metropolitana usemos a água de forma responsável, não podemos alterar de forma relevante essa questão. Por isso é preciso que o Estado atue, por meio de leis ambientais mais rigidas, proibindo o uso de agrotóxicos muito agressivos, incentivando cultivos orgânicos (pela redução de impostos, pela concessão de crédito mais baixo e até pela compra da produção, imagina toda a merenda de escolas feitas com produtos orgânicos), impondo ou premiando políticas de redução da emissão de resíduos. E pra conseguirmos governos preocupados não só com as questões ambientais como com os demais interesses da população precisamos de representatividade política de verdade. Infelizmente nossos políticos (grande maioria) representam os interesses dos que financiam susas campanhas e não de seus eleitores, e por isso precisamos de Reforma política urgente.
    Eu assisti e gravei um discurso do Senador Randolfe Rodrigues do PSOL-AP em que ele fala exatamente nesse sentido em brve vou postá-lo, prometo. E peço desculpas se pareço muito pessimista, mas é que o desafio da questão ambiental é grande e está imbricado com outros problemassos.
    Enfim, vou ficando por aqui, porque senão eu anexo umas figuras, um vídeo e faço desse mega comentário um post.
    Valeu pela sua participação Maria Luiza, continue acompanhando o blog e comentando.
    Um abraço, bons estudos e sucesso.
    Leo Gallo

  4. Muito bom o comentário a respeito da cúpula dos povos. Interessante, que apesar de toda manifestação midiática em torno da Rio + 20, estamos distantes de soluções imediatas.

  5. A Barbara nos contou que vc se saiu um ótimo repórter!! Eu sou da turma da noite, do pré-ufmg sala 8.
    Vejo a Rio+20 desse ano como apenas um comprimento de uma data programada a 20 anos atras, pois as questões realmente importantes não foram discutidas e sinto (não sei se posso afirmar) um descaso e pouca preocupação ou mesmo a certeza de que esse encontro não chegaria a consenso, dos regentes dos países.
    Quando se fala em meio ambiente, já vem a cabeça das pessoas o aquecimento global, que sim, é um assunto importantíssimo e preocupante, que vem sendo abordado desde o primeiro encontro das nações e pouco foi aplicado. Mas no assunto meio ambiente a questão que deveria ser tratada com mais detalhes era de politicas humanas, o combate a pobreza, miséria e fome, saúde publica, educação e ecasses de recursos naturais (peixes, plantas,etc).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s